Segredos da Anitha

setembro 02, 2009

O Último Voo do Super Homem

Ele sempre foi fã do Super Homem, seu maior herói, viveu a infância inteira se passando por ele; circulava pela casa com sua fantasia barata salvando a irmã mais nova de todos os perigos por eles imaginados; mais tarde, já na adolescência, começou a desenvolver um porte físico até parecido com o de seu herói; era alto e forte, com ombros largos, seus cabelos eram de um negro muito brilhante fazendo um belo contraste com seus olhos azuis; de poucos amigos, sempre fora cobiçado pelas meninas, mas era de uma timidez tamanha que nunca se aproveitava da sua fama colegial; agora pensava justamente nisso, em todas as garotas que estivera aos seus pés e ele nem se quer prestara muito a atenção; tivera um único amor, desde o jardim da infância, sempre fora ela, a ruivinha do andar de baixo, sua primeira e melhor amiga; nutria por ela uma admiração exagerada, era para ela que contava todos os seus segredos e foi o corpo dela que ele viu se transformar e o interessar como sexo oposto; sentado no concreto aquecido pelo sol de inverno ele balançava as longas pernas e sentia o ar gelado entrar por sob a calça jeans desbotada, sua preferida; pensava na universidade, quando se mudou para a capital pra estudarem juntos; um começo glorioso onde ele a protegia, voltando a ser o Super Homem da infância; só não imaginava que outros super-heróis iriam cruzar o seu caminho e começar uma dura competição, e logo ela já não o via como seu único herói; foi quando começou o ciúme excessivo e os desentendimentos, em conseqüência, as notas despencaram assim como seu ânimo; ela não o agüentou e o rompimento foi inevitável; se perguntava aonde foi que errara com ela; tentou conversar, pediu, encheu-a de presentes e mimos, chegou até mesmo a implorar pela volta, pelo antigo sentimento dela por ele, mas tudo em vão; ela estava decidida, quem sabe não foi a descoberta de um mundo novo que a fez mudar tanto; porém já não importava mais, estava a olhar para baixo, as pernas ainda suspensas a balançar, nunca teve medo de altura, sempre quis voar feito o homem pássaro; resolveu ficar em pé, abriu os braços, fechou os olhos e sentiu o vento bagunçar seus cabelos; gostava daquele lugar, aquela ponte sempre o fascinou pela sua altura; ainda de olhos fechados, respirava profundo e calmamente, já não pensava em mais ninguém, apenas ouvia o som dos pássaros não muito longe dali; de mente vazia, sentia o corpo leve e lentamente se inclinar para frente, ele se deixou; fora seu primeiro voo e a última tentativa de se passar por Super Homem.
posted by Anitha at 2:38:00 PM

4 Comments:

morbidez da primeira a ultima linha, você poderia explorar mais esse lado já que foi essa lado que quiz mostrar ( ou não)... mas gostei da descrições e dos frash backs e o clima tensão-razão do texto.mas para um primeiro texto , esta rasoavel ..enfim, continue escrevendo


au revoir ¬¬

3 de setembro de 2009 19:04  

Humm..
Um jeito novo de te conhecer por entre as linhas.
O próximo texto será da mocinha??

Beijosss

4 de setembro de 2009 16:58  

Meu idolo de juventude

4 de setembro de 2009 19:33  

le livre? ....rs

6 de setembro de 2009 18:18  

Postar um comentário

<< Home