Segredos da Anitha

fevereiro 13, 2009

Às vezes de um dos Bes

Às vezes dá, às vezes pede
Às vezes chora, às vezes ri
E nunca sempre!

Nunca sempre porque sempre é igual
E da igualdade se fez diferente
Numa busca incessante por si

Às vezes brutal, às vezes fragilidade
Às vezes tão importante, às vezes sem importância nenhuma
E nunca sempre!

Nunca sempre porque sempre é igual
E da rotina se fez novidade
Numa busca incessante por identidade

Às vezes fino, às vezes vulgaridade
Às vezes loucura, às vezes seriedade
E nunca sempre!

Nunca sempre porque sempre é igual
E da calma se fez ansiedade
Numa busca incessante de paz.
posted by Anitha at 10:23:00 AM

3 Comments:

Este comentário foi removido pelo autor.

13 de fevereiro de 2009 10:47  

Não poderia deixar de agradecer meu querido amigo Dr. Zan pelos palpites nesse poema. Obrigada por tudo!

13 de fevereiro de 2009 10:48  

ARRASOU!

16 de fevereiro de 2009 23:09  

Postar um comentário

<< Home